Dona Fifi aos 19 anos.

Apostilas eletrônicas de Dona Fifi
DATAÇÃO ISOTÓPICA
Como ler os relógios nucleares



Quando foi que a mulher chegou ao Piauí?

Acho graça quando leio nos jornais ou revistas que o homem chegou às Américas há tantos mil anos atrás. Se apenas homens tivessem chegado, em pouco tempo não sobraria ninguém. Mais importante é saber quando chegaram as mulheres!

Pois bem, no sertão brabo do Piauí trabalha uma arqueóloga brasileira, a prof. Niède Guidon, que garante que as mulheres chegaram ao Brasil há uns 50.000 anos atrás.

Em São Raimundo Nonato, na Boqueira da Pedra Furada, Niède achou restos de fogueiras com toda a pinta de terem sido acesas por mãos humanas. Ao que parece, a datação do material dessas fogueiras indica essas datas tão remotas. No local, que fica na Serra da Capivara, Niède criou e dirige o Museu do Homem Americano, nome que, evidentemente, não é do meu agrado.


Niède Guidon
Os arqueólogos americanos não gostam dessa história. Preferem acreditar que os humanos (homens e mulheres, é claro) entraram na América pelo extremo norte, através do estreito de Behring, há 12 mil anos atrás e só teriam chegado à América do Sul há, no máximo, uns 10 mil anos. Eles acham que as fogueiras de São Raimundo Nonato tiveram origem não humana.

Entretanto, mais recentemente foram achadas outras evidências indicando que os americanos estão errados. No Chile, há indícios bem claros da presença humana há, pelo menos, 13 mil anos. E, para liquidar de vez a arrogância desses ianques, a equipe de outra arqueóloga brasileira, a prof. Águeda Vialou, encontrou artefatos feitos por mãos humanas em uma área no Matogrosso, a 120 quilômetros de Cuiabá. Essas peças são ossos animais cortados, polidos e furados, na forma de contas de colar. A datação por urânio das camadas de solo onde as peças foram encontradas deram valores em torno de 27 mil anos. Talvez os americanos venham dizer que essas peças foram polidas por macacos ou pelo vento.


Bem, termino aqui nosso passeio por esse assunto de datação isotópica. Meu neto Felipe reconheceu a bobagem que proferiu e já me pediu para escrever outras apostilas, dessa vez sobre a origem dos elementos. Quem sabe um dia...