SEARA DA CIÊNCIA
CURIOSIDADES DA FÍSICA
José Maria Bassalo


Pontecorvo e o Méson mu-menos (Múon).

 

Foi o físico ítalo-inglês-russo Bruno M. Pontecorvo (1913-1993) o primeiro a sugerir, em 1947 (Physical Review 72, p. 246), que o méson  (hoje denominado múon) era um “elétron pesado” e que interagia fracamente com um próton (p) em uma reação do tipo: , em analogia com a reação , que decorre da formulação da teoria do decaimento : , proposta pelo físico ítalo-norte-americano Enrico Fermi (1901-1954; PNF, 1938), em 1933 (Ricerca Scientifica 4, p. 491) e em 1934 (Nuovo Cimento 11. p. 1; Zeitschrift für Physik 88, p. 161) (vide verbete nesta série). Em seu trabalho, Pontecorvo sugeriu ainda que  apresentava o seguinte modo de decaimento: . É oportuno registrar que os físicos, o norte-americano John Archibald Wheeler (n.1911) e o brasileiro Jayme Tiomno (n.1920), propuseram que esse méson era uma partícula que tinha spin ½. Essa proposta foi inicialmente apresentada no Centennial Meeting of the American Association for Advancement of Science, realizado em Washington, DC, no dia 15 de setembro de 1948, e desenvolvida nos artigos publicados no Reviews of Modern Physics 21, pgs. 144 e 153, em 1949 (vide verbete nesta série). Registre-se, também, que  em 1958 (Physical Review 112, p. 267), S. M. Berman mostrou que o mecanismo de decaimento desse méson era do tipo:  e, com isso, calculou a sua vida média, para a qual encontrou o seguinte valor: .