CURIOSIDADES DA FÍSICA
José Maria Filardo Bassalo
www.bassalo.com.br

Anaximandro: O Primeiro Cientista.

 

Segundo o físico italiano Carlo Rovelli (n.1956), o primeiro cientista foi o filósofo grego Anaximandro de Mileto (c.610-c.545) conforme registra em seu excelente livro: The First Scientist: Anaximander and His Legacy (Westholme, 2011). Neste verbete, vou destacar as contribuições de Anaximandro (anotadas por Rovelli) para compreender a Natureza sem apelar para os Deuses, e que foram apresentadas em seu livro intitulado Sobre a Natureza (Пερίφύεωζ), hoje perdido. Note-se que, um fragmento desse livro foi citado pelo filósofo grego Simplício de Cilicia (f.c. 530 d.C.), comentarista dos livros do filósofo grego Aristóteles de Estagira (384-322): De caelo (Sobre os céus), Physica (Física), De anima (Sobre a alma) e Categoriae (Categorias). A citação abaixo foi apresentada por Simplício em seu comentário sobre a Physica:  

 

(Segundo Anaximandro) todas as coisas originam-se umas das outras, e desaparecem em outras de acordo com a necessidade; Elas dão a cada outra justiça e recompensa pela injustiça de conformidade com a ordem do Tempo.

 

                   Agora, vejamos as principais contribuições de Anaximandro, destacadas por Rovelli:

                   1) A transformação de uma coisa em outra é regulada pela “necessidade”, que determina como o fenômeno evolui no tempo.

                   2) A multiplicidade de coisas que constituem a natureza deriva de uma origem ou princípio simples, chamado o apeíron (άπειρον), o ”indefinido” ou ”infinito”.

                   3) O mundo começou quando o quente e o frio separaram-se do apeíron. Esta separação gerou a ordem cósmica. Uma bola de fogo cresceu em torno do ar e a Terra ”como a casca de uma árvore”. Esta bola partiu e foi confinada no interior de rodas que formaram o Sol, a Lua, e as estrelas. A Terra era originalmente coberta de água, que rapidamente esfriou.

                   4) A Terra é um corpo de dimensões finitas flutuando no espaço. Ela não cai por não haver direção particular para ela cair. Ela “não é dominada por nenhum corpo”. (Nota: Anaximandro considerava a Terra como um cilindro que repousava sobre um eixo orientado no sentido leste-oeste e cuja altura correspondia a um terço de seu diâmetro).

                   5) O Sol, a Lua, e as estrelas giram em torno da Terra, formando ciclos completos. Imensas rodas, similares a uma carroça de rodas, carregam a Terra. Elas são furadas no interior (como uma roda de bicicleta), cheia de fogo, e perfuradas ao longo de suas superfícies laterais. O Sol, a Lua e as estrelas que vemos no céu são os fogos vistos através desses buracos. Essas rodas são, provavelmente, a razão de os planetas não caírem. As estrelas estão sobre as rodas mais próximas de nós, a Lua na roda intermediária, e o Sol sobre a roda mais afastada de nós. Suas distâncias da Terra estão na proporção “muito longe”, “mais longe ainda”, e “enormemente longe”. [Nota: O historiador norte-americano Dirk L. Couprie (n.1940) escrevendo sobre Anaximandro (The Internet Encyclopedia of Philosophy) afirma ser aquela proporção do tipo: 9:18:27].

                   6) Os fenômenos meteorológicos têm causas naturais. A chuva é água dos mares e rios que evaporam devido ao calor do Sol. Ela é levada pelo vento e então cai sobre a Terra. Trovão e relâmpago são causados pela colisão aguda das nuvens. Terremotos são causados por fissuras no interior da Terra, por exemplo, pelo excessivo calor ou chuva.

                   7) Todos os animais originalmente vieram do mar ou da umidade primeira que uma vez cobriu a Terra. Os primeiros animais ou foram peixes ou criaturas semelhantes a peixes. Eles se moveram quando a Terra tornou-se seca e se adaptaram a essa nova condição. Os seres humanos, em particular, não puderam nascer dessa forma, pois as crianças não são auto-suficientes, assim, alguma coisa a mais teve que alimentá-los. Eles surgiram de criaturas semelhantes a peixes.          

                   Ainda segundo Rovelli (op. cit.), Anaximandro deu outras contribuições ao conhecimento de um modo geral. Por exemplo:

                   8) Anaximandro desenhou o primeiro mapa do mundo até então conhecido. A geração que o seguiu, outro Milesiano, (o historiador grego) Hecateus [de Mileto (f.c. Sexto-Quinto Século)] aumentou essa mapa que serviu como base para todos os outros mapas até o dia de hoje.

                   9) Anaximandro escreveu o primeiro texto em prosa sobre os fenômenos naturais. Antigos trabalhos sobre a origem e estrutura do mundo foram sempre escritos em verso. [Nota: Por exemplo, o livro Theogony, escrito pelo poeta grego Hesíodo (f.c. 800 a.C.) que, por sinal, acreditava que todas as coisas se originavam do caos].

                   10) A Anaximandro é tradicionalmente creditado como o introdutor do uso do gnomon no mundo Grego, talvez originário da Babilônia. O gnomon é uma haste fincada verticalmente na terra. Pela medida do comprimento de sua sombra projetada, pode-se determinar a altitude do Sol. Uma complexa astronomia decorrente dos movimentos do Sol pôde ser desenvolvida usando o gnomon.

                   11) Alguns autores afirmam que Anaximandro foi o primeiro a medir a obliquidade da eclíptica (o caminho que o Sol aparenta descrever no céu durante o ano). Isto é possível se, como parece provável, ele fez sistemáticas medidas usando o gnomon, uma vez que a obliqüidade da eclíptica é uma primeira natural medida que se faz usando o gnomon. [Nota: Segundo Rovelli (op. cit.), essa afirmação é controversa, conforme afirma o filósofo norte-americano Charles H. Kahn (1926-2004) em seu artigo intitulado On Early Greek Astronomy publicado em 1970 (Journal of Hellenic Studies 90, p. 101)].

                   Concluindo este verbete, é importante dizer que Anaximandro fez parte da primeira geração de filósofos gregos (eram três) conhecidos como Milesianos, isto é, nascidos em Mileto. O primeiro foi Thales (624-546), professor de Anaximandro, que acreditava que a Terra era plana (um disco) e que, por sua vez, flutuava na água que, para ele, era considerada como substância primordial do Universo. O terceiro era Anaxímenes (c.570-c.500), discípulo de Anaximandro, que acreditava ser o ar o elemento universal de vez que o mesmo se reduzia à água por simples compressão. Anaxímenes afirmou ainda que os astros celestes eram corpos fixos a esferas de revolução, bem como admitiu que o Sol era um corpo plano e parece haver feito, pela primeira vez, a distinção entre planeta (sem luz própria) e estrela (com luz própria).