SEARA DA CIÊNCIA
CURIOSIDADES DA FÍSICA
José Maria Bassalo


A miopia, a distração e a erudição de Ampère.
O matemático e físico francês André Marie Ampére (1775-1836) - que deu grandes contribuições ao eletromagnetismo, como, por exemplo, a descoberta da interação eletromagnética entre fios condutores, em 1820; a descoberta das denominadas correntes amperianas, como sendo as responsáveis pelo magnetismo natural, em 1822; e a descoberta da direção (hoje conhecida como a regra da mão direita de Ampère) do campo magnético criado por uma corrente elétrica percorrendo um condutor elétrico, em 1825 -, era míope. Por causa dessa limitação visual, receava que as letras que escrevia no quadro, por ocasião de suas aulas, não fossem legíveis para os estudantes também míopes. Desse modo, manifestava ingenuamente esse receio. Os estudantes, então, abusavam dessa sua benevolência, e pretextando falta de visão levavam-no a escrever algarismos tão grandes, que cinco ou seis deles bastavam para encher o quadro.

Ampère também era conhecido por sua grande distração. Freqüentemente, em suas aulas, entusiasmava-se com as demonstrações matemáticas que fazia e limpava o rosto com o apagador de giz. Registre-se que essa sua distração levou-o a duas grandes gafes. Certa vez, ele não reconheceu o Imperador Napoleão Bonaparte (1769-1821) por ocasião da visita que este fez à Academia de Ciências de Paris. Por causa disso, o Imperador o convidou para jantar no Palácio das Tuileries. Ampère faltou ao jantar!

Por outro lado, esse grande sábio francês era bastante erudito. Ele sabia latim, grego, italiano, física (certamente), química, mecânica analítica, filosofia e, por cima de tudo, sabia heráldica. Fazia canções, madrigais, charadas, poemas sobre a natureza; esboçou uma epopéia inspirada pelo navegador italiano Cristóvão Colombo (1451-1506) com o título de O Americida; escrevia tragédias e comédias, cujas cenas eram interrompidas por x, por y e por fórmulas algébricas. Para outros aspectos curiosos e inusitados da vida de Ampère, ver o Volume 20 de Biografias de Homens Célebres dos Tempos Antigos e Modernos - Ampère, editado por David Corazzi, em 1887.