SEARA DA CIÊNCIA
CURIOSIDADES DA FÍSICA
José Maria Bassalo


Os Nossos Sentidos, a Realidade e os Termômetros.
Aparentemente parece ser fácil verificar se um corpo está quente ou frio, já que basta pegá-lo. No entanto, em certos casos, podemos nos enganar, como por exemplo, na experiência proposta pelo filósofo inglês John Locke (1632-1704), em 1690. Eis a experiência. Admitamos que uma pessoa mergulha uma de suas mãos em água quente e a outra em água fria. Em seguida, se essa pessoa colocar ambas as mãos em um recipiente contendo água em temperatura intermediária, esta lhe parecerá mais fria para a primeira mão e mais quente para a segunda. Hoje, dispomos de aparelhos para determinar com precisão a temperatura dos corpos, os chamados termômetros, cujo primeiro deles foi inventado pelo físico e astrônomo italiano Galileu Galilei (1564-1642), em 1592.

O Termômetro de Galileu era um tubo de vidro com uma extremidade esférica no qual foi colocado, até sua metade, água colorida. Em seguida, ele colocou o mesmo tubo, com o bulbo voltado para cima, em um recipiente contendo outra quantidade da mesma água colorida. A coluna de água no tubo mover-se-ia para cima e para baixo, em conseqüência da alteração de temperatura, que expandia ou comprimia o ar contido no tubo. Por não adotar nenhuma escala de temperatura, esse dispositivo de Galileu era mais um termoscópio do que, propriamente, um termômetro. Somente em 1640, os cientistas da Academia del Cimento da Itália construíram um protótipo do termômetro moderno, usando mercúrio (Hg), porém sem uma escala termométrica definida já que usavam padrões arbitrários, tais como a temperatura do corpo humano e o ponto de fusão da manteiga. Somente em 1701, o físico e matemático inglês Sir Isaac Newton (1642-1727) propôs que as temperaturas de fusão do gelo e a do corpo humano fossem tomadas como padrões referenciais fixos na escala termométrica. É interessante registrar que a famosa escala Celsius (oC) foi introduzida pelo astrônomo sueco Anders Celsius (1701-1744), em 1742. No início, ele adotou como pontos fixos o ponto de fusão do gelo, considerado por ele como cem (100), e o ponto de ebulição da água, ainda considerado por ele como zero (0). No entanto, foi o botânico sueco Carl von Linné (1707-1778) quem inverteu, em 1743, essa escala termométrica proposta por Celsius.