CURIOSIDADES DA FÍSICA
José Maria Filardo Bassalo
www.bassalo.com.br

Born, a Matemática e a Filosofia.

 

Segundo vimos em verbete desta série, o físico alemão Max Born (1882-1970) nasceu em Breslau, então Capital da Província Prussiana da Silésia (uma região histórica dividida entre a Polônia, a República Checa e a Alemanha) e hoje se chama Wroclaw (Polônia). Ele realizou seu Curso Médio (High School) no König-Wilhelm-Gymnasium, de sua cidade natal, entre 1888-1901. Nesta Escola, ele estudou Grego, Latim e Alemão, bem como Matemática, Física, História e Línguas Modernas. Born entrou para a Universidade de Breslau (UB), em 1901, ocasião em que teve oportunidade de ser aluno dos matemáticos alemães Jak(c)ob Rosanes (1842-1922), com quem aprendeu Cálculo Matricial, e Franz London (1863-1917) [pai dos famosos físicos alemães Fritz (1900-1954) e Heinz (19071-1970)], que lhe ensinou Cálculo Diferencial e Integral, bem como Mecânica Analítica.

                   Seguindo o conselho de seu pai (procurar uma formação universitária mais ampla possível), na UB, entre 1901-1902, Born estudou as seguintes disciplinas: Astronomia, Filosofia, Física, Lógica, Matemática, Química e Zoologia, das quais manifestou vontade de ser astrônomo. É oportuno registrar que, quando estudava a metafísica aristotélica com o professor Baumann [Max Born, My Life and Views (Charles Scribner´s Sons, 1968)], Born achava bastante trivial (e nunca modificou essa concepção) o famoso silogismo: - Todos os homens são mortais; Sócrates é um homem; logo Sócrates é mortal. No começo do Século 20, o sistema universitário alemão era bastante versátil, o que permitia que alunos universitários frequentassem outras universidades alemães durante o verão. Assim, nos verões de 1902 e 1903, esteve, respectivamente, na Universidade de Heidelberg e na Universidade de Zurique [na qual, com o matemático alemão Adolf Hurwitz (1859-1919), aprendeu a trabalhar com as funções elípticas]. Na UB, por intermédio de seus então colegas, os futuros matemáticos alemães Otto Toeplitz (1881-1940) e Ernst David Hellinger (1883-1950), Born soube que na Universidade de Göttingen (UG) havia um grupo famoso de matemáticos alemães, entre os quais, se destacavam: David Hilbert (1862-1943), Christian Felix Klein (1849-1925) e Hermann Minkowski (1864-1909) (nascido em Aleksotas, cidade pertencente ao antigo Grande Ducado da Lituânia). Em vista disso, resolveu transferir-se para lá, em abril de 1904. Hilbert [que se tornara famoso por haver, em 1900, iniciado a proposição de seus vinte e três (23) célebres Problemas de Hilbert (vide verbete nesta série)] logo percebeu que Born apresentava excepcional habilidade matemática e, portanto, o escolheu para redigir as notas de aula que ministrava na UG e, posteriormente, como seu assistente não-oficial (já que não era pago nada a Born). Note-se que Born acompanhava as caminhadas de Hilbert e Minkowski nos bosques de Göttingen, nas quais discutiam, além de problemas matemáticos, questões filosóficas, políticas e sociais.

                   Por outro lado, o relacionamento de Born com Klein foi muito problemático e aconteceu quando Born e os alemães, o físico e matemático Carl David Tomé Runge (1856-1927) e o engenheiro aeronáutico Ludwig Prandtl (1875-1953) participavam de um Seminário sobre Elasticidade ministrado por Klein, em 1904. Embora Born não tivesse interesse nesse assunto que, por sinal, era de grande preferência de Klein, ele chegou a preparar um trabalho de conclusão, no qual usou o Cálculo Variacional, que aprendera com Hilbert, e demonstrou que um arame em forma de oito poderia ser estável, no plano e no espaço. Klein gostou bastante desse trabalho e o convidou para apresentá-lo ao prestigioso Prêmio Anual da Faculdade de Filosofia da UG e, também, poderia servir como base de uma Tese de Doutorado. Inicialmente Born rejeitou essa oferta por se tratar de Física Aplicada, o que causou certo constrangimento a Klein, levando a não aceitá-lo como orientador de Tese de Doutorado. No entanto, Born reconsiderou sua decisão e apresentou-o ao aludido Prêmio. Em 13 de junho de 1906, o Reitor da UG anunciou que Born tinha sido o vencedor. Contudo, temendo ser examinado (em Geometria) por Klein em seu exame oral de doutoramento, Born escolheu o tema de Astronomia (que havia estudado na UB). Por ocasião desse exame oral, ocorrido em janeiro de 1907, perante a Banca constituída de Hilbert, Runge e dos físicos alemães Woldemar Voigt (1850-1919) e Karl Schwarzschild (1873-1916) (também astrônomo e Diretor do Observatório da UG). Este lhe perguntou: - O que você faria se visse uma estrela caindo? Born respondeu: - Eu faria um pedido. Hilbert achou graça, mas Schwarzschild prosseguiu: - Sim, está bom. Mas, e o que mais? A resposta a essa pergunta de Schwarzschild só viria a ser apresentada por Born muito tempo depois, desta vez de um modo mais completo, em vários artigos e livros e, principalmente, no livro intitulado My Life and Views (“Minha Vida e Opiniões”) (Charles Scribner´s Sons, 1968). É oportuno destacar que essa Banca atribuiu a Born o grau: Magna Cum Laude, o que lhe permitiu receber o título de Doutor em Matemática pela UG, em 1907. (Anton Z. Capri, http://fermi.phys.ualberta.ca/~bullet/capri.html).