CURIOSIDADES DA FÍSICA
José Maria Filardo Bassalo
www.bassalo.com.br

Os Irmãos Bohr e o Futebol.

 

Em alguns dos verbetes desta série, tratamos do físico dinamarquês Niels Henrik David Bohr (1885-1962; PNF, 1922) e suas principais contribuições à Física, dentre as quais destacamos: 1) Modelo Quântico do Átomo, proposto em 1913 (Philosophical Magazine 26, p. 1; 476; 857); 2) Princípio da Correspondência, apresentado em 1920 (Zeitschrift für Physik 2, p. 423); 3) Princípio da Complementaridade, formulado em 1928 (Atti del Congresso Internationale dei Fisici 2, p. 565; Nature 121, p. 580; Naturwissenschaften 16, p. 245); 4) Modelo da Gota-líquida para explicar a fissão nuclear, publicado em 1939 (Physical Review 56, p. 426; 1056), feito em colaboração com o físico norte-americano John Archibald Wheeler (1911-2008).

                   Niels era filho de Christian Harald Lauritz Peter Bohr (1855-1911), professor de Fisiologia da Universidade de Copenhague (UC) e de Ellen Adler Bohr (1860-1930), filha de tradicional família judia de banqueiros da Dinamarca. Niels tinha dois irmãos: Jenny Bohr (1833-1938), que era professora, e Harald August Bohr (1887-1951), que era matemático. Como o pai dos Bohr um grande admirador do futebol, não é de estranhar que tanto Niels quanto Harald se tornassem famosos jogadores desse esporte, tendo inclusive Harald conquistado a medalha de prata pela Dinamarca, nas Olimpíadas de Londres, ocorrida no verão de 1908, na qual o futebol se tornou um evento oficial pela primeira vez. Harald jogou as primeiras “peladas” de futebol como meio-campista (halfback) no Københauns Boldklub e, depois, oficialmente, pelo Akademisk Boldklub, em 1903. Durante o ano de 1905, Harald teve como companheiro de time seu irmão Niels, que era goleiro (goalkepper). É interessante registrar que, no jogo em que a Dinamarca ganhou do segundo time da França, por 90, Harald fez dois gols. Harald também, participou do jogo semifinal em que a Dinamarca ganhou do time principal da França, por 171, recorde até hoje inédito. Note-se que a Dinamarca perdeu para a Inglaterra na final das Olimpíadas, pelo escore de 20. Ainda jogando pela Dinamarca, Harald ganhou por 21 um time amador da Inglaterra, em 1910. Registre-se que quando Harald defendeu sua Tese de Doutorado, na UC, ainda em 1910 e intitulada Bidrag til de Dirichletske Roekkers Theori (“Contribuições à Teoria das Séries de Dirichlet”), a maior parte da audiência era composta de fãs de futebol do que de matemáticos.

                   Ainda sobre o gosto de Niels Bohr pelo futebol, existe um fato curioso sobre o diálogo entre ele e o Rei da Dinamarca Christian X [Christian Carl Frederik Albert Alexander Vilhelm (1870-1947)] por ocasião do recebimento da Cadeira de Física Teórica que o Reinado da Dinamarca havia criado para ele, em março de 1914. O Rei disse-lhe: - É um prazer falar com um famoso jogador de futebol. Bohr agradeceu, acrescentando: - Desculpe, mas Sua Majestade está pensando no meu irmão Harald.    

                   Para concluir este verbete, é interessante ressaltar que Harald, como matemático, realizou contribuições importantes para o entendimento das funções analíticas quase periódicas. Por exemplo, ele e o matemático alemão Edmund Georg Hermann (Yehezkel) Landau (1877-1938) demonstraram, em 1914 (Rendiconti del Circolo Matematico di Palermo 37, p. 269), o hoje famoso Teorema de Bohr-Landau, relacionado com a distribuição dos zeros da função zeta (ζ) de Riemann [proposta pelo matemático alemão Georg Friedrich Bernhard Riemann (1826-1866), em 1859 (Monatsberichte der Königlich Preussischen Akademie der Wissenschaften zu Berlin, p. 671)]. Harald também ficou célebre por haver escrito, junto com o matemático dinamarquês Peter Johannes Mollerup (1872-1937), o texto intitulado Loerebog i Matematisk Analyse (“Livro-texto em Análise Matemática”), composto de quatro volumes, editados entre 1920 e 1923, no qual aparece o Teorema de Bohr-Mollerup, que trata da propriedade fundamental da função gama: Γ(x+1) = x Γ(x). [Abraham Pais, Niels Bohr Times´s, In Physics, Philosophy, and Polity (Clarendon Press, 1991); wikipedia.org/Harald_Bohr].