SEARA DA CIÊNCIA
CURIOSIDADES DA FÍSICA
José Maria Bassalo


As Previsões de Kepler. .
A Guerra dos Trinta Anos (1618-1648), que foi uma série de conflitos religiosos e políticos ocorridos especialmente na Alemanha e envolvendo, principalmente, Suécia, França e Áustria, afetou a Europa Central provocando dificuldades dessas dificuldades, conforme registra o site pt.wikipedia.org. Pois bem, em virtude de tais dificuldades, o astrônomo alemão Johannes Kepler (1571-1630), que era matemático do Império Austríaco, teve seus salários suspensos. Para se manter, passou a fazer horóscopos e tabelas de predição de tempo. Certa vez, quando violenta tempestade escureceu o céu de Praga, ao meio-dia, conforme predição que fizera quinze dias antes, o povo nas ruas apontava para o céu e bradava: É Kepler que vem vindo! Por outro lado, segundo nos conta o novelista húngaro-inglês Arthur Koestler (1905-1983) em seu livro O Homem e o Universo (IBRASA, 1989), em 1624, Kepler fez um horóscopo do grande general católico, o tcheco Albrecht Wenzel von Wallenstein (1583-1634) descrevendo de forma extraordinária o seu caráter e predizendo um desastre universal em 1634. Ele acertara em cheio, pois Wallenstein foi assassinado em 25 de fevereiro de 1634. Um pouco antes de sua morte, o francês Armand-Jean du Plessis, Cardeal e Duque de Richelieu (1585-1642) tentou suborná-lo. Em vista disso, o Imperador húngaro Fernando II (1578-1637) acusou-o de traição e retirou-lhe o comando de suas tropas. É oportuno registrar que, ao estudar a cronologia sobre a idade de Cristo, Kepler formulou uma teoria (hoje, por sinal, bem aceita) na qual mostrava ter Jesus Cristo nascido 4 ou 5 anos antes do admitido pela Igreja Católica. Registre-se, também, que Kepler foi um dos primeiros autores de obras de ficção científica, com o seu livro Somnium Lunari ("Sonhando com a Lua"), no qual descreveu uma viagem à Lua, escrito por volta de 1609, e somente publicado, em 1634, depois de sua morte. Em 1827, três anos antes de morrer, Kepler publicou seu último trabalho de astronomia, Tabelas Rodolfinas, em homenagem ao Imperador romano-austríaco Rodolfo II (1552-1612) e dedicado à memória do astrônomo dinamarquês Tycho Brahe (1546-1601). Essas Tabelas contêm as observações de Tycho e do próprio Kepler sobre o movimento dos planetas. É interessante ressaltar que, em sua confecção, ele utilizou um novo método de cálculo matemático - os logaritmos - que havia sido inventado pelo matemático escocês John Napier (1550-1617), em 1614. Note-se que Kepler fez seu próprio epitáfio: Eu costumava medir os céus; agora devo medir as sombras da Terra. Apesar de minha alma ser do céu, a sombra de meu corpo descansa aqui.