SEARA DA CIÊNCIA
IMORTAIS DA CIÊNCIA

NICOLAU COPÉRNICO

Nicolau Copérnico nasceu em 19 de Fevereiro de 1473 em Thorn, na Polônia, e morreu em 24 de Maio de 1543, em Frauenburgo.

Copérnico era de família relativamente abastada mas, com a morte do pai foi criado pelo tio, o bispo de Ermlend, que o protegeu até morrer.

Estudou astronomia e matemática na Universidade de Cracóvia, mas, segundo os costumes da época, tornou-se cônego da Igreja e formou-se em direito canônico.

Os estudos de astronomia de Copérnico o levaram a propor a Teoria Heliocêntrica, segundo a qual a Terra se move em redor do Sol, e não o contrário, como dizia Ptolomeu e como era a crença geral naquele tempo. Sabendo da polêmica que isso inevitavelmente levantaria entre os defensores do geocentrismo, principalmente naqueles que achavam que essa hipótese era consistente com os ensinamentos bíblicos, Copérnico retardou o mais possível a apresentação de sua obra. Mesmo assim, com o incentivo de um jovem astrônomo chamado Rheticus, professor de matemática na Universidade de Wittenberg, publicou trabalhos onde sua teoria já era apresentada como uma hipótese alternativa.

O sistema heliocêntrico de Copérnico, porém, não era isento de falhas e imprecisões. Como ele acreditava que as órbitas dos planetas ao redor do Sol deveriam ser circulares, precisou de introduzir dezenas de epiciclos para ajustar as observações às suas tabelas teóricas. Isso tornava seu modelo tão complexo e deselegante quando o modelo de Ptolomeu. Além disso, a hipótese heliocêntrica esbarrava em contradições com a observação astronômica, principalmente no caso da ausência de paralaxe nas estrelas. Mesmo assim, a teoria de Copérnico foi ardentemente apoiada por Galileu, que quase se deu mal por causa desse apoio. As inconsistências do modelo de Copérnico acabaram sendo resolvidas quando Keppler mostrou que as órbitas dos planetas eram elipses com o Sol em um dos focos.

O livro completo com as teorias de Copérnico, "Das Revoluções", foi enviado para publicação por insistência de Rheticus. em 1543. Infelizmente, o editor, talvez com medo da reação da Igreja, incluiu um prefácio por conta própria afirmando que era tudo apenas uma especulação matemática, não representando uma descrição da realidade. Felizmente, parece que Copérnico, já moribundo, não soube dessa sacanagem e morreu feliz por ter seu livro publicado.