SEARA DA CIÊNCIA

CHARLES DARWIN

Nasceu em Shrewsbury, Shropshire, Inglaterra em 12 de fevereiro de 1809 e faleceu em Down, Kent, Inglaterra em 19 de abril de 1882.

Darwin cursou medicina em Edimburgo. Abandonou o curso e entrou para a Universidade de Cambridge em 1828. O geólogo Adam Sedwick e o Botânico John Henslow o convenceram a partir em uma viagem ao redor do mundo, por cinco anos. Tinha 22 anos quando zarpou, em 1831, no Beagle, cuja missão era desenhar reentrâncias mal conhecidas do litoral da costa Sul Americana. Enquanto a tripulação descobria a costa, Darwin ficava em terra coletando material da flora e fauna.

De volta, sistematizou suas anotações e observou que as variações das espécies sucediam-se à medida que avançava. Registrou, nas ilhas Galápagos, que cada uma apresentava uma espécie dominante, e reconheceu tais ilhas como formações geológicas recentes. Notou que, se levasse em conta a variação entre os indivíduos, chegaria à conclusão que haveria indivíduos mais aptos do que outros, assim, aqueles mais adaptados ao meio seriam aqueles que procriariam em maior escala. Tal processo é a base do que denominou seleção natural.

Em 1859, publicou sua grande obra, A Origem das Espécies. Tal foi impacto que a primeira edição, 1250 exemplares, esgotou-se no primeiro dia. Encontrou fortes oponentes entre cientistas e líderes religiosos, pois as idéias iam contra as concepções da origem da vida segundo os preceitos teológicos vigentes. Isso o obrigou a utilizar-se das idéias de Lamarck quanto à adaptação ao meio. Sua teoria passou a ser aceita apenas no século XX, depois das descobertas de Mendel acerca da transmissão hereditária de caracteres. Só em 1997 sua teoria recebeu anuência da Igreja Católica (Papa João Paulo II).