SEARA DA CIÊNCIA

RODOLFO TEÓFILO

Rodolfo Teófilo nasceu em Salvador, em 06 de maio de 1853 e faleceu em Fortaleza em 2 de julho de 1932.

Misto de cientista, escritor, industrial e divulgador científico, Rodolfo Teófilo, nascido na Bahia, veio para o Ceará com apenas 15 dias de idade. Cedo ficou órfão, tendo de trabalhar como caixeiro para sobreviver.

Rodolfo Teófilo formou-se em Farmácia pela Faculdade de Medicina da Bahia. Depois de retornar ao Ceará, empreendeu uma batalha pessoal contra a varíola, lutando contra o medo da vacina, sem recursos, em tempo de seca, fome, da migração em massa e de péssimas condições de higiene. Em 1862, a cólera vitimou quase um terço dos seis mil habitantes de Maranguape – cidade nas cercanias de Fortaleza. Em 1878, a varíola mataria um quinto da população da capital cearense.

Rodolfo Teófilo combateu praticamente sozinho a varíola em Fortaleza no final do século XIX e início do século XX. Sem apoio do poder público, montado em seu cavalo, cuidou sozinho da vacinação em massa pelos bairros pobres de Fortaleza durante os três primeiros anos do século XX. Só em 1902 vacinou 1940 pessoas, não sendo registrado nenhum caso de varíola na capital cearense naquele ano.

Obstinado ainda encontrou tempo para escrever 28 livros, aderir à causa abolicionista e militar na Padaria Espiritual – espécie de agremiação literária que, pelo comportamento irreverente de seus membros, antecipa o modernismo no Brasil. Como se não bastasse, foi inventor da cajuína – não só do produto, como também do nome.