SEARA DA CIÊNCIA
IMORTAIS DA CIÊNCIA

ERWIN SCHRÖDINGER

O físico austríaco Erwin Schrödinger nasceu em 12 de agosto de 1887 e morreu em 4 de janeiro de 1961.

Schrödinger (pronuncia-se "chirêdinguer", mais ou menos...) foi um dos criadores da moderna mecânica quântica, juntamente com Werner Heisenberg e Paul Dirac. No início de sua carreira como físico Schrödinger trabalhou como experimental. Mas, desde o início da década de 20 já se interessava pela nascente teoria quântica iniciada por Planck, De Broglie, Einstein, Bohr e outros. Tanto Schrödinger quanto Heisenberg sabiam que a teoria era promissora mas tinha furos enormes. Heisenberg apresentou sua versão da nova mecânica quântica baseada em matrizes. Era uma idéia bastante satisfatória mas difícil de entender e visualizar pois se apoiava inteiramente nesses objetos matemáticos pouco familiares, as matrizes. Schrödinger preferia algo mais ligado aos conceitos clássicos, como a mecânica ondulatória que já tivera sucesso na explicação de muitos fenômenos.

Em 1925, Schrödinger tirou umas férias de Natal decidido a atacar o problema. Deixou a mulher em casa e foi para uma estação de ski nos Alpes, levando suas anotações e uma namorada. Certamente, deu conta das duas tarefas. Inventou uma equação, hoje chamada de "equação de Schrödinger ", que incorpora a idéia inicial de De Broglie de que as partículas são ondas. Resolvendo essa equação para algum sistema (um elétron, por exemplo) encontra-se uma expressão para uma variável Y que contém todas as informações pertinentes sobre o comportamento do sistema. Hoje em dia, a equação que Schrödinger desenvolveu nos intervalos entre os atendimentos à namorada serve para estudar qualquer sistema físico, desde quarks, elétrons ou outras partículas.

O problema era entender a natureza desse tal Y. Para complicar, essa função pode ser complexa, no sentido matemático, isto é, envolve o número i, raiz de -1. Não dá para se ter uma interpretação física de um número imaginário. Veio então o alemão Max Born que disse: Y não tem interpretação, quem tem é Y2, pois um número imaginário ao quadrado é um número real. Segundo Born, Y2 representa a probabilidade de se achar a partícula em algum lugar, em um dado instante. A função de onda, portanto, é uma onda de probabilidade. Muita gente não gostou dessa interpretação, um deles o próprio Schrödinger. Einstein, então, detestava essa história de probabilidade e enunciou sua famosa frase que "Deus não joga dados". Aparentemente, não só joga como adora jogar, pois até hoje a interpretação probabilística é a única que consegue ficar de bem com todos os resultados experimentais. Schrödinger, para manifestar sua discordância dessa interpretação, inventou o famoso gato que estaria ao mesmo tempo vivo e morto. Achava que esse paradoxo mostraria o absurdo da interpretação probabilística. Entretanto, hoje os físicos até constroem sistemas experimentais que reproduzem direitinho o caso do gato. Só não dá para fazer com um gato de verdade pois o pessoal da proteção aos animais não iria gostar.

Durante a guerra, diferentemente de Heisenberg, Schrödinger tentou morar na Inglaterra, longe dos nazistas que não tolerava. Mas, os ingleses não gostavam da maneira liberal de Schrödinger, que vivia numa boa com a mulher legítima e uma amante, na mesma casa. Ele teve de voltar para a Áustria. Com a anexação da Áustria a Alemanha, Schrödinger foi demitido e teve de sair procurando emprego. Foi para a Irlanda onde ficou por 17 anos. Finalmente, voltou para a Áustria onde morreu de tuberculose aos 73 anos.